Notícia

Mulher e Direitos Humanos

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas
Quarta, 11 Março 2020 20:31
POVOS TRADICIONAIS

Aldeia Xucuru Kariri recebe palestra em alusão ao Mês da Mulher

Equipe técnica da Semudh realizou ação na reserva indígena de Palmeira dos Índios

Ação faz parte da programação em alusão ao Dia Internacional da Mulher Ação faz parte da programação em alusão ao Dia Internacional da Mulher Joanna de Ângelis
Texto de Joanna de Ângelis

Falar sobre empoderamento feminino é encorajar e fortalecer a luta das mulheres em busca de proteção e garantia dos seus direitos. Pensando nisso, a equipe técnica da Superintendência de Políticas para a Mulher da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos – SEMUDH, foi até a aldeia da tribo Xucuru Kariri no município de Palmeira dos Índios, agreste alagoano, conversar sobre os direitos da mulher e os mecanismos de enfrentamento à violência doméstica e familiar. 

A ação aconteceu no Posto de Saúde Indígena, a convite da técnica de enfermagem e meizinheira (como são chamadas as pessoas que utilizam os saberes sobre plantas medicinais na criação de remédios caseiros) da aldeia, Koram Xucuru.  

“Com as dificuldades do mundo de hoje, o que toda mulher precisa é ser forte. Precisa ser forte por ser mulher. As mulheres indígenas da Mata da Cafurna precisam ser fortes para mudar esse quadro de comodismo, de violência doméstica e omissão que permeia o nosso cotidiano. Somos guerreiras e precisamos incentivar as nossas mulheres a buscar sempre o melhor pra elas. Estamos aqui juntas para nos fortalecer”, afirmou Koram. 

WhatsApp Image 2020 03 11 at 16.31.06 6

Durante a palestra, a educadora social da Semudh, Anne Kellen, convidou às participantes a compartilhar experiências e refletir sobre o que é ser mulher. Maria José, moradora da aldeia, definiu o seu sentimento. “Me sinto valorizada pela minha família, meu esposo, meus filhos e meus colegas. Ser mulher pra mim é cuidar de quem está comigo, é ser dona de mim. É ser decidida, dentro e fora de casa. Ser mulher é ser tudo”.  

No final do encontro foi realizada uma oficina de macramê como incentivo para o empreendedorismo feminino dentro da aldeia. O macramê é uma técnica de tecelagem que consiste na utilização de nós para criação de peças de decoração, cortinas, lençóis e toalhas.