Notícia

Mulher e Direitos Humanos

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas
Sábado, 07 Novembro 2020 12:18
SAÚDE

Semudh e Sesau vão criar linhas de cuidados especiais em saúde para povos tradicionais

Secretário de Saúde, Alexandre Ayres, foi conhecer o serviço do Ceam - Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) e a Sala Lilás, de acolhimento à população feminina

Secretário de saúde, Alexandre Ayres, conhece os espaços do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) Secretário de saúde, Alexandre Ayres, conhece os espaços do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) Ascom SESAU
Texto de Eduardo Lira

A atenção à saúde e os cuidados preventivos são direitos de todas e todos, incluindo, quilombolas, indígenas, ciganas e ribeirinhas, por isso, a secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh), Maria Silva e o secretário de Saúde (Sesau), Alexandre Ayres, firmaram, acordo para melhoria da qualidade de vida em saúde  dos povos tradicionais de Alagoas.

A parceria foi definida hoje, 06, pela manhã, durante visita do secretário Ayres, e equipe técnica da Sesau, ao Ceam, a convite da secretária Maria Silva, que também apresentou o atendimento da Sala Lilás, local que acolhe mulheres vítimas de violência doméstica com serviços gratuitos de assistência jurídica, social e psicológica.

O objetivo inicial da colaboração é estabelecer diretrizes para a criação de Linhas de Cuidados especializadas na saúde desta parcela populacional que encontra dificuldade de acessar o sistema de saúde. “Queremos entregar um atendimento completo que, não somente trate da doença, mas que busque evitá-la. Por isso, com a criação destas Linhas, a gente pretende  colocar prevenção como protagonista. Temos que garantir que estas pessoas possam obter um tratamento adequado e de qualidade”, afirmou o secretário Alexandre.

Para a secretária, Maria Silva, a parceria trará mudanças importantes, afetando positivamente a vida de milhares de alagoanos. “Queremos transformar um quadro histórico de descaso, de um sistema que discrimina por séculos negros, indígenas e ciganos. Precisamos cuidar melhor de nossos povos tradicionais e facilitar o acesso à saúde. E agora teremos  esse suporte através da parceria com nossos colegas da Saúde”, disse.  

Maria ressaltou a importância que os povos tradicionais têm para a garantia da manutenção da história e das raízes do povo brasileiro. “São nossos índios, quilombolas, ciganos e ribeirinhos e os demais povos tradicionais que dão continuidade aos saberes dos nossos ancestrais, conhecimentos raros passados de geração e geração, sejam os medicinais, quanto os da gastronomia, da cultura e da nossa origem histórica”.
 
O fortalecimento da rede de cuidados às vítimas de violência doméstica e sexual também esteve em pauta. A superintendente de Políticas para a Mulher, Dilma Pinheiro, apresentou os serviços do Ceam para a equipe visitante discutindo conjuntamente melhorias nas ações de acolhimento a essas vítimas, para ampliar os serviços de atendimento.
 
Também participaram do encontro, o superintendente de Políticas para os Direitos da Pessoa com Deficiência, Humberto Santos (Semudh), o Secretário Executivo de Ações em Saúde, Marcos Ramalho (Sesau) e o Secretário Executivo de Gestão Interna, André Cabral (Sesau).