Notícia

Mulher e Direitos Humanos

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas
Quinta, 01 Agosto 2019 10:55
ENFRENTAMENTO

Agosto Lilás terá rodas de conversa sobre violência contra a mulher em aldeias indígenas e comunidades de ciganos

Equipe da Semudh fará mais de 30 encontros em diversos municípios para variados públicos, entre professores e estudantes, assentados rurais, quilombolas, indígenas e ciganos

Mês visa conscientizar sobre o enfrentamento à violência doméstica no Estado. Mês visa conscientizar sobre o enfrentamento à violência doméstica no Estado. Ascom Semudh
Texto de Ana Cristina Sampaio

Um mês dedicado ao enfrentamento à violência contra a mulher e ao feminicídio. Assim é o Agosto Lilás, que em Alagoas teve seu marco a partir do dia 15 agosto de 2017 quando o governador Renan Filho assinou o decreto instituindo o mês da campanha educativa, a qual consiste em ações de conscientização sobre à violência doméstica no Estado.

Para ampliar cada vez mais a quantidade de pessoas impactadas com a campanha do Agosto Lilás, a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos – Semudh – elaborou uma agenda com mais de 30 palestras e rodas de conversas contemplando as diversas regiões do Estado, além da capital. A abertura da campanha será dia 01 de agosto, no calçadão entro de Maceió, às 9 horas, com o Ministério Público de Alagoas.

Interiorização

Em União dos Palmares, o encontro será dia 06 de agosto, com a equipe do CREAS – Centro de Referência Especializado de Assistência Social, no bairro Alto da Boa Vista. Nos dias seguintes, as rodas de conversa ocorrerão em Murici e Pilar, dia 07, e Santana do Ipanema, dia 08.

Na sexta-feira, dia 9 de agosto, haverá encontro em Fleixeiras, e Rio Largo, em parceria com o Ministério Público de Alagoas. Já Arapiraca, Quebrangulo e São Miguel dos Campos discutirão o enfrentamento à violência doméstica nos dias 12 e 13 de agosto.

Aldeias

Os índios da Aldeia Kariri Xocó de Porto Real do Colégio e a tribo Karapotó, de São Sebastião, receberão a equipe técnica da Semudh no dia 14 de agosto. Jequiá da Praia discutirá a igualdade de gênero e feminicídio no dia 15 de agosto.

O município de Carneiros é conhecido também por ter uma comunidade de origem Romani, conhecida como cigana. O Agosto Lilás também levará palestra pra esses povos tradicionais no dia 16.

Outros municípios como Água Branca, Coruripe, Joaquim Gomes, Palmeira dos Índios, Piranhas, Delmiro Gouveia, Junqueiro, Teotônio Vilela e Piaçabuçu também terão programação no Agosto Lilás.

Presídio Santa Luzia

As reeducandas do Presídio Santa Luzia vão discutir a igualdade de gênero, a violência contra a mulher e o feminicídio no dia 29 de agosto.

O encerramento do Agosto Lilás será dia 30 na aldeia indígena em Pariconha, na tribo dos Jiripancó.

Para a secretária da Mulher e dos Direitos Humanos, Maria Silva, a campanha do Agosto Lilás é uma das ações mais importantes da Semudh porque impacta no maior número de pessoas em todo o Estado. “As palestras e rodas de conversas têm um efeito multiplicador. As histórias de violência que são contadas e os números apresentados costumam sensibilizar os ouvintes, que passam a replicar para mais pessoas.

“Para se ter uma ideia da importância do Agosto Lilás, com a mobilização em torno do tema, a Semudh atinge mais de 80 localidades e alcança em torno de 100 mil pessoas. A cada ano, mais municípios procuram a Secretaria em busca de orientações e palestras, o que demonstra que o assunto tem levantado o interesse dos gestores públicos”, explicou a secretária.